CURSILHO MASCULINO CHEGA A SUA 83ª EDIÇÃO

O Cursilho de Cristandade para homens reuniu 59 participantes no Centro de Pastoral São José, em Perdões/MG, de 5 a 8 de abril. Essa foi a 83ª edição do encontro na Diocese de Oliveira e teve a representação de 24 paróquias, entre cursilhistas e equipe de trabalho.

            O perdoense Gustavo Freire teve a responsabilidade de coordenar a atividade. Ele explicou que o foco do movimento é formar líderes cristãos para evangelizarem nos diversos ambientes. Objetivo que ele acredita ter alcançado. “Foi um desafio abençoado. Estar à frente de uma equipe tão generosa e com um espirito de doação sem limite foi muito gratificante e pude aprender muito com tudo e todos. Coordenando, pude também ficar mais próximo dos cursilhistas, podendo acompanhar a transformação de cada um e relembrar a minha transformação que um dia o Cursilho proporcionou”, explicou.

Marcelo, de Santana do Jacaré/MG, descreveu a experiência do Cursilho como uma oportunidade de abrir os olhos e se tornar “um novo homem” – pensamento que o desafia no serviço da evangelização “Estou muito motivado, me tornando cada dia melhor. Pretendo me tornar um pescador de homens se Deus quiser. Quero sempre crescer espiritualmente”, afirmou.

Experiência parecida teve Renato, de Desterro de Entre Rios/MG. Ele relata estar muito motivado depois do encontro. Agora, a ideia é servir em outras pastorais em sua comunidade. “Hoje vejo que tenho que me comprometer mais ainda nas obras de Deus”, finalizou.

Os homens que tiveram a experiência do primeiro cursilho foram acolhidos por familiares e amigos na Matriz do Senhor Bom Jesus dos Perdões, onde foi celebrada a missa de encerramento no dia 8 de abril. Ao fim, em sinal de fraternidade e muito emocionados, o grupo repetiu o canto símbolo do Movimento de Cursilhos de Cristandade: o DECOLORES.

EQUIPE FALA DA EXPERIÊNCIA DE TRABALHAR NO CURSILHO     

Equipe de trabalho do Cursilho posa para foto oficial

Limpeza, comunicação, infraestrutura: muitas são as frentes de trabalho para garantir a realização de um encontro como o Cursilho. E quem se dedica a esse trabalho são os voluntários que um dia também tiveram a experiência enquanto participantes.

Richard, de Campo Belo/MG, lembrou que a diferença das duas experiências se dá pela novidade. Enquanto os participantes vão sem saber do que vai acontecer, a equipe chega com a expectativa de que tudo que foi planejado possa dar certo. O resultado sempre é esperado, uma vez que há muita união de quem se coloca a serviço. “Estou com meu coração transbordando de muita felicidade por ter tido essa oportunidade de servir aos meus irmãos e estarei sempre à disposição, porque amo o Cursilho”, destacou.

Sentimento parecido tem Pedro, de Perdões/MG, que afirma que o movimento funciona como uma espécie de “óculos da fé”. O aprendizado que ele teve o ajudou a amadurecer sua vivência na Igreja. Hoje, um cursilhista que declara amor pela missão, segue no serviço a quem também chega ao espaço buscando conhecer mais sobre a evangelização.

HISTÓRICO

Primeiro Cursilho da Diocese de Oliveira foi em 1973

Curiosamente, o primeiro Cursilho realizado na Diocese de Oliveira foi masculino. O encontro aconteceu de 25 a 28 de janeiro de 1973. Portanto, são 45 anos de história. Atualmente, além do cursilho masculino, são realizados o cursilho para jovens e o cursilho para mulheres. O segundo acontece de 19 a 22 de abril, também no Centro de Pastoral São José, em Perdões/MG.

Texto: Vinícius Borges
Fotos: página oficial do MCC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *