DIOCESE ACOLHE NOVO PRESBÍTERO: PE. YURI

Santuário de Nossa Senhora das Candeias recebeu a ordenação presbiteral

“Alegrai-vos sempre no Senhor!” (Fl 4,4). O lema sacerdotal escolhido por Pe. Yuri Lamounier Mombrini Lira deu o tom de sua ordenação, realizada no último sábado (28), no Santuário de Nossa Senhora das Candeias, em Candeias, sua terra natal. A celebração festiva acolheu seus familiares, conterrâneos e amigos de várias paróquias, especialmente daquelas por onde ele passou no estágio pastoral.

As Paróquias de São Sebastião, de Oliveira, São Tiago Maior e Sant’Ana, de São Tiago, e São Sebastião, de São Sebastião da Estrela, foram lembradas pelo neo-sacerdote no seu agradecimento pela missão percorrida no tempo de seminário, quando fazia estágio pastoral. Enquanto diácono, Pe. Yuri vivenciou a missão na Paróquia de Nossa Senhora das Dores, em Itaguara. Todas essas comunidades enviaram suas representações para a celebração, que lotou o Santuário.

Pais de Pe. Yuri, Lenice e José Carlos, levam as vestes sacerdotais para o filho

Lenice e José Carlos, pais de Pe. Yuri, se emocionaram ao levar até o filho as vestes presbiterais. Eles foram lembrados com carinho pelo jovem padre. “Descobri a maravilha que é a vida no aconchego de minha família. Com minha mãe Lenice, aprendi a colorir a minha existência, meu Pai José Carlos me ensinou a cantar a beleza da vida. Dessa forma, mãe e pai, vocês fizeram de sua vida, a minha vida. E nas cores e nas melodias encontrei suavemente meu caminho, sempre pelas suas mãos amorosas e firmes. Vocês são e serão sempre minha maior inspiração. Eu amo vocês!”, destacou.

O agradecimento ao irmão Kevin e a todos os familiares também foi marcante no pronunciamento de Pe. Yuri, ao final da celebração. Entre inúmeras falas de gratidão, ele entoou a música “Padre quer dizer pai”, de autoria de Pe. Antônio Maria. A canção, aprendida ainda na infância, era constantemente cantada pelo então pároco, Pe. Edir Manoel Negrão de Lima. O gesto despertou aplausos da assembleia, que ficou comovida.

Eunice Neves fala em nome da comunidade candeense

A paroquiana Eunice Neves falou em nome da comunidade candeense. Ela destacou a alegria dos conterrâneos de Pe. Yuri em vê-lo, tão jovem, se tornar presbítero da Igreja. Também recordou os passos dele na paróquia, que desde cedo demonstrava vocação para o serviço ministerial. Ao agradecê-lo, pediu as bênçãos da padroeira, Nossa Senhora das Candeias, para que o ilumine na caminhada. O padre ainda aguarda o anúncio do bispo diocesano, Dom Miguel Ângelo Freitas Ribeiro, sobre a paróquia para a qual deve seguir.

O pastor diocesano, aliás, se dirigiu com muito carinho ao jovem padre. Lembrou que sua família representou sustento importante para seu caminho vocacional e agradeceu o seu zelo no caminho de formação. O pároco anfitrião, Pe. Wellington Mendes, também homenageou Pe. Yuri e agradeceu o empenho de todas as pastorais e movimentos, que organizaram um café de recepção e um jantar, servido após a celebração.

AGRADECIMENTO DE PE. YURI

            Confira o pronunciamento de Pe. Yuri, na íntegra, lido ao final da celebração de ordenação presbiteral.

Diante do altar, Pe. Yuri acompanha o rito de ordenação

“Nesta tarde gloriosa, meu coração transborda de alegria ao experimentar que de fato “a alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus”, como lembra o Papa Francisco. A alegria do evangelho é diferente, não é apenas um sentimento passageiro que nos faz rir à toa. Essa alegria é uma pessoa, Cristo nossa verdadeira felicidade. Olhando e seguindo a Cristo nós podemos descobrir o sentido pleno da nossa existência e de nossa vocação. É essa a razão de minha alegria e, por isso, escolhi como lema para minha vida e ministério sacerdotal as palavras do apóstolo São Paulo: “Alegrai-vos sempre no Senhor!” (Fl 4,4).

Experimentei pela primeira vez essa alegria que é o próprio Cristo no dom da vida, presente mais precioso que Deus me deu. É verdade que a vida é repleta de desafios e contrariedades, mas as dificuldades encontradas ao longo do caminho, não me fizeram perder a esperança. Diante de cada obstáculo, transformei em oração os versos de nosso poeta Gonzaguinha: “eu sei que a vida devia ser bem melhor e será, mas isso não impede que eu repita: é bonita, é bonita, é bonita!” Sou um “eterno aprendiz” que com a graça de Deus, fui aprendendo a tecer os retalhos da existência e costurar minha interioridade, tesouro que, na expressão do apóstolo, cada um de nós “carrega em vasos de barros” ou como poetizou o Beato Tiago Alberione na “fragilidade de uma taça de cristal”. Que maravilha é viver!

O eleito prostra-se em sinal de total entrega a Deus durante ladainha

Descobri a maravilha que é a vida no aconchego de minha família. Com minha mãe Lenice, aprendi a colorir a minha existência, meu Pai José Carlos me ensinou a cantar a beleza da vida. Dessa forma, mãe e pai, vocês fizeram de sua vida, a minha vida. E nas cores e nas melodias encontrei suavemente meu caminho, sempre pelas suas mãos amorosas e firmes. Vocês são e serão sempre minha maior inspiração. Eu amo vocês! Com meu irmão Kevin, descobri a alegria eternizada nas brincadeiras. O irmão é o guardião de nossas memórias, o cofre onde guardamos os segredos e peraltices vividos na infância. Obrigado por sempre estarem presente em minha caminhada, me acompanhado e incentivando, fazendo-se presentes no Seminário e em cada Paróquia por onde passei ao longo desse tempo e por partilharem o júbilo deste momento que celebramos nesta tarde de sábado.

Os meus queridos avós Lucy, Eurides, Bela e José, responsáveis por doces lembranças e pela transmissão da fé que hoje professo. A força da fé de vocês me encanta e me enche de esperança. Alegro-me com a presença de meus queridos familiares, de modo especial de meus tios: Lu, Egmar, Nicinha, Elessandro, Evandro, Cleo, Nely, Clarice, Marco, minha madrinha Marly, meu padrinho José, meus primos, primas, meus afilhados Maria Eduarda e João.  Agradeço a Deus por ter me dado uma família maravilhosa. Obrigado por me incentivarem nessa jornada.

Nesta tarde, também quero recordar da alegria que experimentei ao acolher o dom de minha vocação. Inúmeras pessoas me ajudaram a descobrir e acolher minha vocação como dom precioso.

Alegro-me hoje e sempre com cada irmão e irmã da Paróquia de Nossa Senhora das Candeias, berço da minha fé e minha formação. Aos párocos com quem convivi neste tempo, os padres: José Inácio, Alexandre, José Ananias, Edir, Lúcio, Paulinho, Reinaldo, Wellington e também  Padre Monsef com quem descobri e me encantei com a beleza do sacerdócio e a vida dedicada ao Evangelho.  Alegro-me também por poder partilhar esse momento com cada candeense. As ruas por onde andei, os lugares que frequentei, as pessoas com quem convivi. Todos e tudo são testemunhas do caminho que trilhei para chegar até aqui.

Sou grato a meus professores das escolas: Cambalhota, Erasto de Barros, Padre Américo, Colégio Dom Cabral, Seminários São José e Nossa Senhora de Oliveira, PUC-Minas reconheço que seus esforços me fizeram crescer e batalhar pelos meus sonhos.

Dom Miguel e Dom Barroso presenças iluminadoras em meu chamado, obrigado pelo incentivo e entusiasmo ao apresentar uma igreja com o rosto de Deus.

Destaco a presença e a amizade dos meus formadores Pe. José Maria, Pe. Sebastião, Pe. Cornelius e Pe. Carlinhos que me acompanharam durante o tempo de Seminário. Também foram presenças marcantes ao longo deste caminho os padres Jorge, Jeferson, Rogério, Diovany e agradeço também as orações e o testemunho dos padres de nosso clero diocesano e das religiosas e religiosos. Que alegria poder caminhar com vocês seguindo os passos de Jesus e anunciando a alegria do Evangelho!

Pe. Yuri e Dom Miguel rezam diante de Nossa Senhora das Candeias

Ao longo deste caminho, descobri também que “nada do que fazemos tem sentido se não tocarmos o coração das pessoas”.. A alegria do Evangelho de Jesus não pode ficar aprisionada em nosso coração, é preciso sempre partilhar essa alegria com nossos irmãos e irmãs. Pois, a verdadeira alegria cristã nasce quando seguimos os passos de Jesus e espelhamos nossas ações nos gestos Dele. Aos poucos, percebemos que a Palavra de Deus dá sabor à nossa vida e nos convida a saborear a vida das pessoas. Assim fui construindo belas amizades que somaram em cada etapa trilhada, seja nos momentos informais ou nas atividades pastorais e nas paróquias onde estive presente durante o tempo de seminário que descobri e procurei viver a alegria de servir e de levar às pessoas o tempero saboroso do Evangelho da alegria de Jesus.

Por isso, também partilho a alegria de minha ordenação presbiteral com os amigos e amigas que fiz durante o tempo de missão nessas paróquias. Aos amigos da Paróquia São Sebastião em Oliveira, onde comecei a trilhar o caminho de missionário da alegria do Mestre de Nazaré, agradeço aos paroquianos e aos Padres Betinho e Nilson pela acolhida e amizade.  

Ao lado dos amigos da Paróquia São Tiago Maior e Santana caminhei durante o início dos anos da Teologia, trago na memória nossos encontros aos fins de semana sempre repletos de poesia e com a companhia saborosa de um café com biscoito. Ao Pe. Robson minha gratidão por sua acolhida neste período.  

À Paróquia de São Sebastião da Estrela, onde vivenciei meu estágio pastoral nos últimos dois anos de Seminário e fiz muitos e bons “amigos da Onça” e se como seminarista um dia tive medo do rastro da onça, posso afirmar que lá meus passos ficaram marcados e nas pegadas de cada um que me acolheu com tanto carinho eu quero seguir.

Aos amigos da Paróquia Nossa Senhora das Dores, em Itaguara onde tive a alegria de viver com muita intensidade o tempo do diaconato. Nesses seis meses, intensos e inesquecíveis em Itaguara me aperfeiçoei não somente em minha espiritualidade, mas sobretudo venci o grande desafio exercitar a arte da conquista. Aceitar e ser aceito. Conquistei, mas também fui conquistado por vocês. Trago os paroquianos de Itaguara em meu coração e sinto que também moro em seus corações. Não somente por nossos méritos, mas pela força da alegria do Evangelho que nos une no amor de Deus. Agradeço ao Pe. Onaldo por sua acolhida fraterna e pelas partilhas.

Alegro-me também com a presença dos amigos de outras confissões religiosas aqui presentes.

Agradeço ao Coral Paroquial que abrilhantou a missa da Ordenação, aos amigos de Carmópolis de Minas que ornamentaram nosso Santuário e a todos que ajudaram a preparar essa Celebração, as equipes de Liturgia, Acolhida, Café e jantar. Muito obrigado!”.

Padre Yuri Lamounier Mombrini Lira

CONFIRA MAIS FOTOS:

 

 

 

 

 

Texto e fotos: Vinícius Borges

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *