PROMOVER A CULTURA VOCACIONAL: CONFIRA A CARTA DE INTENÇÕES DE ENCERRAMENTO DO ANO VOCACIONAL

Rezar pelas vocações e promover a cultura vocacional. O Ano Vocacional da Diocese de Oliveira, iniciado no dia 17 de fevereiro de 2019, inspirou a Igreja Particular ao trabalho pelas vocações. Após um ano de intensas atividades, momentos de oração e ações missionárias, a atividade teve o seu encerramento. Em encontro realizado no sábado (15), os grupos que trabalham diretamente na animação vocacional avaliaram o ano e construíram uma carta de intenções. O documento foi lido nas missas dominicais de todas as paróquias. Segundo o bispo diocesano, Dom Miguel Angelo Freitas Ribeiro, o texto indica que o Ano Vocacional não terminou nesse domingo (16), mas continua vivo nas ações despertadas e propostas a partir de agora.

Confira a íntegra da carta

CARTA DE INTENÇÕES NO ENCERRAMENTO DO ANO VOCACIONAL 2019-2020

“Mestre, onde moras? Vinde ver.” (Jo 1, 38-39)

Seguindo o convite do nosso Mestre e Pastor, Jesus Cristo, nossa Diocese de Oliveira se colocou a caminho para rezar, refletir e trabalhar a dimensão vocacional e tornar nossos espaços eclesiais verdadeiros centros de despertar vocacional e de vivência ministerial.

A dinâmica do caminhar, expressada visivelmente com a peregrinação da imagem de Jesus Bom Pastor nas nossas paróquias, comunidades religiosas e seminários favoreceu intensos momentos de oração, atividades e encontros formativos, que reavivaram e fortaleceram a consciência e a cultura vocacional.

Sensibilizados pelo estilo de Jesus, “que passa pelos lugares da vida diária, se detém sem pressa e, olhando para os irmãos com misericórdia, os conduz ao encontro com Deus Pai” (Papa Francisco), e cientes da sede de sentido que muitos irmãos e irmãs, particularmente jovens, expressam, muitas vezes de forma silenciosa, manifestamos o nosso compromisso em fazer de nossas paróquias, comunidades e famílias, lugares onde sejam vividas e promovidas as duas dimensões próprias de toda vocação: a descoberta de se sentir amado por Deus (ch-amado) e a beleza de se sentir convocado para colocar os próprios dons e talentos a serviço da ação evangelizadora (voc-ação).

Concretamente, reafirmamos nossos compromissos em:

– dar primazia à oração para pedir ao “Senhor da Messe que envie operários para a colheita” (Mt 9,38), seguindo o convite e o exemplo do mesmo Jesus, que passou a noite em oração antes de chamar os Doze Apóstolos;

– buscar fazer com que nossas paróquias e comunidades sejam sempre mais casas de promoção das vocações; ambientes onde seja possível escutar o chamado do Senhor, através das iniciativas de oração promovidas pelos Mosteiros Vocacionais, também entre as crianças, Movimento Serra, Equipes Vocacionais Paroquiais e Obra das Vocações Sacerdotais ou Associação de São José (OVS), de modo que cada comunidade ofereça à Igreja uma vocação à vida consagrada;

– fazer em cada celebração um momento de oração pelas vocações;

–  valorizar, cada vez mais, com intensidade e seriedade, o terço vocacional, o “Dia de Oração pelas Vocações e pela Santificação do Clero”, nas paróquias e casas religiosas, realizando uma hora ou dia de adoração ao Santíssimo Sacramento pelas vocações, de modo que, em nenhum dia do mês, falte a oração suplicante ao Mestre e Pastor do Rebanho;

– incentivar os doentes e a todas as pessoas a oferecer alguma obra de misericórdia em favor das vocações;

– promover ações e atitudes em favor da vida, primeira vocação à qual o Senhor nos chamou. Numa sociedade que parece perder sempre mais o sentido e a valorização da vida, ser faróis de luz a orientar os jovens na descoberta e valorização da vida como dom, que encontrará seu pleno sentido somente quando colocada a serviço dos outros;

– valorizar os nossos padres, diáconos, religiosos e religiosas e as famílias cristãs, como primeiros interlocutores na busca vocacional dos nossos jovens, orientando-os a procurar neles uma ajuda e uma orientação serena, segura e acolhedora;

– divulgar, difundir e participar das iniciativas vocacionais promovidas pelas equipes vocacionais paroquiais e diocesana, particularmente os Encontros Vocacionais Diocesanos, com atenção especial aos grupos de coroinhas, adolescentes, jovens e adultos que sentem o chamado à vida consagrada;

– ser criativos na difusão e promoção de uma cultura vocacional, recordando que, como afirma o Papa Francisco “o serviço vocacional deve ser visto como a alma de toda a evangelização e toda a pastoral da Igreja”. Toda a pastoral está em função de gerar cristãos, que compreendam a sua vocação e vivam a sua missão no mundo, especialmente a catequese, a pastoral familiar, a pastoral litúrgica e a pastoral juvenil.

– procurar ser presença nas escolas, particularmente na promoção de missões vocacionais e nos encontros juvenis dos diversos movimentos.

Agradecidos pela caminhada e pelas iniciativas promovidas ao longo desse ano, reafirmamos nossa vontade e disponibilidade em dar “um passo a frente, levantar a cabeça, contemplar o infinito ao nosso redor” onde há ainda “muitos operários sem missão” (Hino vocacional 2019).

Oliveira, 15 de fevereiro de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *