DestaquesNotícias

ESCLARECIMENTO SOBRE A REABERTURA DAS IGREJAS

Quando a pandemia de Coronavírus começa a subir ao seu pico, sendo previstas mais de 1.000 mortes ao dia no Brasil, segundo o Ministério da Saúde;

Quando a pandemia se interioriza cada vez mais, sendo confirmados casos em Campo Belo, Carmópolis de Minas, Perdões, Itaguara, Carmo da Mata, Cana Verde e Piracema; além das cidades vizinhas à nossa diocese, Quando muitos ainda não compreenderam a gravidade da doença;

Quando muitas administrações municipais têm relaxado as medidas protetivas e indicado a reabertura das igrejas;

Quando o Regional Leste II da CNBB, em reunião virtual, propõe que somente no momento oportuno, se abram as nossas igrejas em todas as dioceses; Tendo consultado por e-mail os nossos sacerdotes e ouvido a opinião dos que se manifestaram, assim como diversas autoridades médicas;

É necessário recordar que:

1. Sobre este assunto, decidem os bispos e não o poder público.

2. Nos vários decretos municipais, colocam-se condições inviáveis para a reabertura dos templos: Como limitar a 30% o número de fiéis? Se houver aglomeração nas portas dos templos, como será feita a seleção de quem entra ou quem fica de fora? Será possível manter a distância mínima de 1,5 metro entre cada fiel? Como será feita a higienização dos bancos e genuflexórios, quando muitos de nossos funcionários estão afastados?

3. Todos sentimos a falta da assembleia litúrgica e sabemos o sacrifício de fiéis e pastores, quando a Eucaristia se tornou materialmente distante. Mas, os sacerdotes ou a maioria deles, na qual me incluo, cada dia eleva ao Pai o Corpo de Cristo e o Cálice da Salvação em favor do mundo inteiro, na renovação do mesmo e único sacrifício do Calvário.

4. Não estamos sem Eucaristia, estamos impedidos da comunhão sacramental. O desejo de comungar sacramentalmente da parte de grande número de fiéis é saudável e demonstra o quanto a Eucaristia é importante para nós, como fonte e ápice da vida da Igreja.

Portanto, sobre a abertura das igrejas, permanecem as normas anteriormente publicadas por nós, que vigorarão até o dia 31 de maio, devendo as celebrações serem realizadas apenas com o número necessário de fiéis para transmissão pelas redes sociais. Caso não haja nova orientação após a data acima, consideram-se prorrogadas.

Os sacerdotes continuem a orientar os fiéis sobre os cuidados necessários com a própria saúde e a do próximo, o distanciamento social e demais medidas protetivas e busquem meios e parcerias para a assistência aos mais necessitados.

Ofereçamos ao Pai, em união com a Paixão do Salvador, mais este sacrifício que hoje nos pede a justiça e a caridade para com os irmãos.

O momento é de rezar, confiar, esperar e cuidar. “Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção e sua face resplandeça sobre o mundo ” (cf. Sl 66, 2). Intercedam por nós neste tempo de provação, a Santa Mãe de Deus, a Senhora de Oliveira, Saúde dos Enfermos, São José, seu esposo castíssimo, São Sebastião e nossos santos padroeiros. Deus os abençoe a todos. Oliveira, 6 de maio de 2020.

Dom Miguel Angelo Freitas Ribeiro, Bispo diocesano

8 thoughts on “ESCLARECIMENTO SOBRE A REABERTURA DAS IGREJAS

  • Zilda Pereira de Andrade Arriel

    Em nossa casa e no nosso coração através da nossa fé e de nossas Orações podemos nos encontrar profundamente com Nosso Senhor. Peçamos a Maria, Santa Mãe de Deus, que pela sua intercessão possa atrair o Espírito Santo para nos iluminar e levar até o PAI as nossas orações. Assim, fortalecidos pela Graça e amor de Deus podemos desfrutar da nossa maior riqueza e vivermos em paz..

  • Fátima Amaral de Melo

    Td muito difícil… Mas necessário… Portanto, tenhamos paciência e fé. Deus esteja com todos e que as atitudes mais acertadas sejam tomadas.🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏

  • Jedson oliveira desiderio

    E outra coisa tem muito mais gente na missas pelo Facebook do que presencial pelo Facebook uma missa pela outra da 250 pessoas ao vivo
    Presencial tem 30 70 pessoas não chega a 100 pessoas eu só lamento porque eu todo domingo vou adorar a Deus e Jesus na sua casa no seu templo e levar meu dízimo e infelizmente está fechado

  • João Bosco

    Se for para proteção de todos nós é melhor esperar o momento certo. E continuarmos rezando em casa e pedindo a intercessão a Deus por todo povo brasileiro

  • Inês Fátima Silveira Silva

    acho a medida certíssima não podemos contrair esse vírus e levar a doença para as outras pessoas.Estou sentindo muita falta de participar das missas e se Deus quiser breve estarei na minha igreja feliz com a graça de Deus

Deixe um comentário