PARÓQUIA DE CANDEIAS CELEBRA A REABERTURA DO SANTUÁRIO PONTIFÍCIO SENHOR BOM JESUS, APÓS RESTAURAÇÃO

Por Carlos Eduardo Alves Silva*

Construído em 1797, o Santuário Pontifício do Senhor Bom Jesus de Candeias foi um dos centros de peregrinações do século XVIII que arrastou inúmeros romeiros das mais diversas localidades do Oeste de Minas em busca de graças e milagres diante da venerada imagem do Senhor Bom Jesus. Recebeu o título de Santuário Pontifício pelo Papa Gregório XVI, em 1834. Palco de gloriosos jubileus, é um marco vivo da memória candeense que possibilita a análise e compreensão da formação social, religiosa e cultural da cidade. Tombado como Patrimônio Histórico e Artístico de Candeias, passou por um processo de restauração, desde 2017 e teve, na noite deste sábado (13), sua reabertura e bênção.

A obra, fomentada e concretizada pelo pároco, Revmo. Pe. Wellington Mendes Alves, contou com a valorosa ajuda de toda a comunidade paroquial que participou, de modo efetivo, nesta empreitada. Primeiro aspecto a ser restaurado, os retábulos colaterais, construídos em 1919, pelo candeense João Teixeira e policromados por Ângelo Pagnacco, artista italiano que trabalhou e deixou obras assinadas nesta região de Minas Gerais. Subsequente, iniciou-se a restauração da grande tribuna. No processo, encontrou-se, sob quatro camadas de tinta, a pintura original, feita em marmorizado.

A estrutura recebeu também reparos, desde a fiação elétrica a um novo sistema de som, telhado e forro. Neste último, a nave recebeu um novo forro, mantendo-se o formato original. Os detalhes da Capela Mor têm chamado a atenção dos visitantes: construída em 1950 e sofrendo diversas alterações desde então, a Capela Mor ganhou uma grande atenção nas obras, reforçando seu estilo neoclássico, recebeu uma tela da Ascensão do Senhor, ladeada por anjos, assistida por Maria Santíssima e os Apóstolos, aludindo ao antigo forro perdido em 1980. O presbitério foi remodelado, recebendo os riscos originais. Foi também confeccionado, em São João del Rei, pela Estrela Guia Arte Sacra, um novo conjunto para o altar, com uma nova mesa de celebração, cadeiras, credência e um novo retábulo e trono para a bicentenária e milagrosa imagem do Senhor Bom Jesus, entalhados em madeira e revestidos com folhas de ouro que configuram uma bela obra de arte.

Um momento de grande relevância para a vida da Paróquia e cidade, a missa de bênção e reabertura foi singular. Presidida pelo Pároco, Pe. Wellington, e concelebrada pelos sacerdotes filhos de Candeias, Revmo. Pe. Jeferson Martins Fernandes e Revmo. Pe. Yuri Lamounier Mombrini Lira, atendeu aos protocolos de saúde, mantendo o distanciamento social

e a quantidade permitida. Diante disso, fez-se a transmissão ao vivo da Celebração, através do Canal no YouTube da Paróquia Nossa Senhora das Candeias.

Em sua homilia, o pároco também ressaltou a importância da restauração de nosso interior: “Meus irmãos e irmãs, ao concluirmos hoje a hoje a restauração deste Santuário do Senhor Bom Jesus, tendo empenhado tanto esforço, juntos, ouçamos Ele mesmo que nos diz, como a Francisco: “Vai e reconstrói a minha casa.” Essa restauração que aqui realizamos, nos ajude também a restaurarmos o verdadeiro Santuário de Deus, que é o coração, a vida de cada filho seu. Restaurarmos a dignidade de todo ser humano, imagem e semelhança do Criador. Conseguiremos esta obra se fixarmos nossos olhos no próprio Senhor Bom Jesus e aprendermos dele a acolher a todos, a ter compaixão dos que mais sofrem a não termos medo de nos aproximarmos, a não fazermos e nem deixarmos que aconteça perto de nós, qualquer atitude de desprezo e preconceito contra o próximo. O Bom Jesus nos chama a ser como Ele, a agirmos como Ele, não discriminado nem marginalizando ninguém. É só assim que poderemos dizer, de verdade, que o seguimos.”

Após a Oração depois da Comunhão, o arquiteto responsável pela restauração, Alisson Silveira Souza, em sua fala de agradecimento, elencou as principais atividades e intervenções pelas quais o Santuário passou nestes anos e elucidou: “A partir de agora, é o momento de cada um fazer a experiência da beleza do sagrado, observar os detalhes, se sentir acolhido nesta “nova” igreja. Nossa proposta com essa grande obra foi favorecer a participação ativa, consciente e fecunda dia fiéis. A estruturação do templo, o desenho e a adequação de seus elementos construtivos, propiciam a beleza dos símbolos, a suavidade das linhas arquitetônicas e a centralidade do mistério cristão.”

Também a representante do Conselho Paroquial de Assuntos Econômicos, Sra. Filomena Maria de Castro Vilela, fez seu agradecimento ao pároco, arquiteto e demais colaboradores desta obra, aclarando a importância deste templo na vivência cristã, como sinal da presença unificadora de Deus: “Hoje, vê-lo completamente restaurado nos confirma que Sua presença em nosso meio rompe o tempo e se solidifica nas bênçãos derramadas sobre nós para que, em sua companhia cheguemos também à Jerusalém Celeste. Nos quase quatro anos em que nosso Santuário esteve fechado para as obras, sentimos saudades de Sua Casa que nos abriga e conforta. Nesta noite, assim como o salmista, dissemos com o coração: “Alegrei-me quando ouvi que me disseram: vamos à Casa do Senhor!”. A alegria que aqui nos une e transcende, só foi possível pelas inúmeras mãos que concretizaram esse sonho.”

Ao final da Celebração, após a Bênção, o arquiteto Alisson Silveira Souza e o historiador Carlos Eduardo Alves Silva, subscritor deste artigo, fizeram uma Visita Guiada,

explanando os aspectos arquitetônicos, artísticos e históricos do Santuário, a partir das obras de restauração.

Este feliz momento celebrado pela Paróquia de Candeias, estará vivo na memória dos fiéis do Bom Jesus e será parte da história dessa comunidade.

A todos, deixa-se o convite para conhecer o Santuário Pontifício do Senhor Bom Jesus de Candeias, este importante lugar de Oração, bênçãos e graças da Diocese de Oliveira.

HORÁRIOS DE MISSA:

Às quintas-feiras, 7h com bênção do Santíssimo.

Aos sábados, 19h.

HORÁRIO PARA VISITAÇÃO:

De segunda a sábado, de 8h às 18h.

*Historiador, candeense e autor do livro “Candeias, História de um povo e sua terra”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *